A Blogueira

Ola, prazer.. Sou Bruna Frank, tenho 23 anos e amo artesanato, mais especificamente crochê. Por isso tornei essa arte minha profissão a aproximadamente quatro anos. Me tornando a Bruna Frank Crochê.

Eu sou gaúcha da cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul. Sou também mãe, esposa e dona de casa em tempo integral. Hoje vivo 100% do meu artesanato e posso dizer que sou uma mulher realizada. E muito grata a Deus por isso.

Eu e o crochê

Mas deixe eu partir do começo. Quando eu ainda era criança, minha irmã fazia peças em crochê. E eu adorava observar, e adorava ainda mais quando a peça ficava pronta. No começo eu me interessava até por tricô, coisa que hoje não me interesso tanto.

Certo dia uma vizinha de frente de casa, a mesma que ajudava minha irmã, me emprestou uma agulha. E com os restos de linha da minha irmã eu fui aprendendo a tecer. Ela me ensinou os pontos básicos do crochê.

A criação do blog, é para falar como o artesanato pode ser sim, nossa profissão. E o desejo de falar mais sobre isso veio de um episódio que aconteceu comigo neste ano de 2017. Eu sustentei nossa casa por três meses apenas com meu artesanato. Quando meu marido passou por um período de desemprego.

Como o crochê se tornou minha profissão

Realmente eu nunca tive a intenção de tornar o crochê minha profissão. E nunca pensei que eu seria a Bruna Frank crochê. Conhecida pelo meu artesanato. Era algo que realmente nunca havia planejado, aconteceu naturalmente em minha vida. Antes de tornar o crochê minha profissão e me tornar Bruna Frank Crochê, eu tentei diversas profissões. Tanto no mercado convencional quanto por conta própria. Uma coisa sempre foi certa em minha vida, eu sempre quis ser uma empreendedora. Ter meu próprio negócio e fazer minha carreira. Mas eu tentei de tudo, até Deus me mostrar o caminho. O artesanato.

Antes de ser artesã

Meu primeiro emprego foi como atendente de lan house. Eu também já fui vendedora de loja de moveis usados, revendedora de catálogos, lingerie e semi jóias. Tenho duas assinaturas em minha carteira de trabalho como operadora de caixa. Fiz metade de um curso de auxiliar administrativo, não terminei o curso nem atuei na área. Tenho meio curso de cabeleireira e cheguei a atuar como auxiliar em alguns salões. Antes de tornar o crochê minha profissão, eu estava atuando como manicure em um salão. Mas já havia atuando nesta área por conta própria também.

Em 2013 engravidei, e minha vida seguia normalmente até o sexto mês de gestação. Eu ainda estava trabalhando no salão como manicure, que era próximo a minha casa. Quando em uma consulta do pré natal, a médica me informa que deveria fazer repouso absoluto.  O colo do útero estava aberto e eu corria o risco de perder meu bebê. No mesmo dia voltei para casa e não fui mais trabalhar.

Como estava grávida fazia parte de grupos desse gênero no Facebook. Que era onde eu passava a maior parte do meu dia. Certo dia navegando pela rede social encontrei uma publicação de uma mãe que queria uma touca de Mickey. A touca era bem simples, toda preta com as orelhas do personagem. Logo pensei, eu seu fazer essa touca. E coloquei isso nos comentários.

Como essa publicação mudou minha vida

Ao contrário do que você devem estar pensando, essa mãe não comprou a touca de mim. Até conversamos no privado, mas ela disse ter achado alguém que fazia mais barato. Quem nunca ouviu essa frase no artesanato? Mesmo a dona da publicação não querendo a peça, eu recebi diversas mensagens de outras mães que viram minha resposta.

Eu recebi naquela semana diversas mensagens de pedido de toucas para bebe não só do Mickey mas de outros personagens. Lembro-me bem de como era corrido. Minha mãe comprava as cores que eu precisava e eu na cama confeccionava as peças. Em seguida as clientes vinham e buscavam sua encomenda.

Tinha mães que compravam logo um lote de vez, com toucas de diversos personagens. Tinha as mães que compravam para seus filhos e já para dar de presente também. Eu fui crescendo sem qualquer esforço, o próprio boca a boca me divulgava. Uma mãe indicava para a outra.

 

Logo após o nascimento de meu bebê, tudo foi se ajeitando. Eu criei minha pagina Bruna Frank Crochê, em seguida as outras redes sociais. E sai da confecção infantil, para ir para decoração. E hoje vivo apenas do meu artesanato. Envio para todo o Brasil e tenho orgulho de dizer: Eu sou artesã.